Treinamento – erros acontecem!
Buscar
  • Cão Com Manteiga

Treinamento – erros acontecem!


Por Juliana Nishihashi



Glinis contemplando se a taxa de acertos e erros de seu treinamento está boa


Quem opta por um adestramento canino baseado em metodologias que utilizam reforço positivo conhece a premissa de que, para ter um treinamento bem sucedido, é necessário evitar os erros e reforçar os acertos. Essa regra básica para boa condução do treino é fundamental na elaboração e condução de todos os exercícios e também no manejo diário dos cães. Cães que estão livres para desempenhar comportamentos indesejados tendem a manter esses comportamentos e o treinamento para eliminá-los fica bem mais complicado e demorado. Como diz o ditado, “a prática leva à perfeição”, e nos casos dos cachorros, a prática leva a cães mais insistentes e craques em fazer a coisa errada!


Portanto, é sempre importante ficar atento para que o cão esteja num ambiente que o ajude a acertar – por exemplo, quando estamos ensinando o filhote a fazer as necessidades no tapete higiênico, colocar vários tapetes ao invés de um só aumenta a possibilidade de acerto; ou quando estamos treinando um cão a não pular nas visitas, muitas vezes é necessário utilizar coleira e guia para impedir o pulo e conseguir pedir para ele sentar. São atitudes simples como essas que fazem a taxa de acertos aumentar e a de erros diminuir. E é dessa forma que os comportamentos mudam – mais acertos e menos erros, até que o cão está condicionado a realizar os comportamentos corretos desejados, e “esquece” de praticar os incorretos indesejados.


Porém, sempre lembramos que apesar de planejarmos, estudarmos e nos precavermos, ainda vivemos no planeta Terra, o ambiente ideal para situações imprevistas! E é por isso que não conseguimos controlar tudo, e ainda com todo nosso planejamento, erros podem acontecer durante o treino.

Infelizmente, é bem comum ver tutores se lamentando e se culpando (ou culpando o cão, o que é pior!), ao verem o filhotinho fazer xixi a caminho do tapete higiênico, e não sobre ele. E se questionando se esse erro significa que o cão nada aprendeu do treino, ou nunca conseguirá aprender o local correto das necessidades!


Outro exemplo, um cão que está sendo treinado para não latir para a campainha, mesmo com todo treinamento, dessensibilização e contra-condicionamento, ainda pode escutar a campainha sendo acionada no apartamento vizinho e latir! Como lidar? O treino todo foi por água abaixo?


É importante lembrarmos que os comportamentos se fixam nos cães à medida que são repetidos e recompensados com certa frequência. Portanto, não queremos que os tutores fiquem desesperados quando raros lapsos acontecerem, especialmente aqueles que não forem por falta de cuidado e planejamento do tutor! Como falei, imprevistos acontecem, e sendo ocasionais e revertidos em algo positivo, o seu treinamento não deve sofrer tantos impactos. Ficou complicado? O exemplo da campainha continua: se o cão em treinamento ouviu a campainha do vizinho e latiu, e já não latia nada durante os treinos e simulações controladas com a campainha da própria casa, o melhor que o tutor pode fazer é encerrar o latido com um pedido de “vem”, aguardar um pouco o cão sossegar, e recompensar. Assim, é tirado o foco do som repentino, e encerramos rapidamente o comportamento indesejado. Sabendo que o cão ainda reage a sons à distância, o tutor precisa planejar um treinamento que contemple isso, ou observar se não foi só um lapso ocasional – lembra aquela história de que nossos cães não são robôs e podem cometer alguns errinhos e depois não acontecer mais? Então... muitas vezes o cão desempenha algum comportamento que não queremos, mas de forma ocasional. Nada ligado a problemas de comportamento, ou algo do tipo, simplesmente comportamentos inerentes à espécie (latir é um deles!!).


Pense dessa mesma forma sempre que algo indesejado acontecer durante uma sessão de treinamento: se foi um erro ocasional, por algo imprevisto – seu cão medroso se assustou com um saco de lixo que caiu na rua, por exemplo; acalme-o (e se acalme!), peça alguns truques, leve-o para farejar, e tente continuar o passeio. Tudo voltou ao normal (ou perto do normal)? Ótimo! Das próximas vezes, é necessário tomar cuidado ao passar perto de lixeiras ou até mesmo realizar um treino específico para dessensibilizar, e o treinamento deverá seguir seu curso normal. Agora, se o cão medroso está sistematicamente tomando sustos durante o treino, com diversos estímulos, e não consegue retornar a um comportamento tranquilo e positivo, isso significa que algo não está bem estruturado nas condições de treino – seja o horário do passeio, o local onde acontece, a comunicação com o tutor... Dessa forma, é necessário reestruturar o treino, pois neste caso a frequência alta de comportamentos indesejados vai afetar o cão e prejudicá-lo.


Como sempre falamos, não é problema algum “mudar a marcha” durante o treinamento e rever o planejamento, alterando coisas conforme necessidade. O treinamento, assim como o comportamento canino e nosso relacionamento com nossos cães é flexível, permitindo ajustes à medida que forem necessários.

Portanto, se você estruturou seu treinamento, ou mesmo a rotina diária, baseado numa boa comunicação com seu cão, compreendendo suas características e necessidades, e utilizando técnicas positivas adequadas à situação, e durante a implementação um errinho aconteceu, não se desespere! Em primeiro lugar, reverta o erro em algo menos prejudicial; em segundo lugar, observe se existe algum ajuste que você possa fazer para que isso não aconteça mais; em terceiro lugar, se for algo ocasional e imprevisto, mantenha seu planejamento e caminhe com seu cão, pois certamente vocês dois conseguirão superar isso juntos!



Mas se restaram dúvidas sobre porque seu treinamento ainda apresenta lapsos, ou se precisar de auxílio e planejamento personalizados, chame a gente pra uma consultoria comportamental! Uma família mais informada e consciente pode ajudar a criar cães mais equilibrados e um ambiente mais harmonioso, dentro e fora de casa!


47 visualizações