Não treine seu cachorro!
Buscar
  • Cão Com Manteiga

Não treine seu cachorro!

por Oliver So

Sempre que pensamos em treinar nossos cães, precisamos levar em consideração três pontos fundamentais: objetivo, motivação e estado interno. Objetivo é essencial para nortear os treinos. Motivação, para manter esses momentos atrativos e divertidos. E estado interno, para garantir que as condições são favoráveis para os treinos naquele momento ou naquele local.

Quero falar aqui especificamente sobre o estado interno. Mas, agora, não o do cachorro. Por que não falar sobre o estado interno do tutor na relação com seu cão? Ele também é determinante para motivar ou não o animal. Para atingir ou não os objetivos.


Trabalho, responsabilidades, metas, boletos, trânsito, frustrações e, inclusive, dificuldades do próprio treino com o cão. Tudo isso é absolutamente normal na vida de qualquer um, mas pode acabar minando o estado interno da pessoa. Alguns ficam menos pacientes, uns ficam desmotivados e outros ficam até mais agressivos. E é nesse momento que o treino pode desandar.


Treinar seu cachorro requer paciência, dedicação e observação. Muitas vezes, também adaptação. As situações mudam, surgem novos estímulos, as condições podem não ser favoráveis naquela hora. Se o estresse tiver tomado conta do tutor, nada vai correr bem. Da mesma forma que um cachorro que passou por momentos de estresse também não vai responder da melhor forma.


A convivência com um animal pode ser um grande alívio para momentos de tensão e estresse. Cabe a cada tutor ver se é o momento adequado para treinar. Abrir mão de um treino não é nenhum problema. Problema é insistir em treinar sob condições ruins. É mais provável ver treino não evoluir, ou até regredir.


Então, se você estiver em uma hora ruim, não treine seu cachorro. Ao invés de treinar, você pode tirar um tempo para si, com ou sem seu bicho. Algumas ideias:


• Oferecer brinquedos interativos, recheados ou não com comida, para estimular seu cachorro mentalmente e gastar a energia dele.


• Brincar com ele despretensiosamente, jogando bolinha, frisbee ou algum outro brinquedo que ele goste.


• Passear em algum lugar tranquilo e seguro para deixá-lo farejar à vontade e explorar o ambiente. Parques, praças, “cachorródromos”, trilhas podem ser boas opções.


• Levá-lo a uma creche de cães, se for um animal sociável.


Lembre-se: treinar um cachorro não envolve apenas o animal. O tutor também é peça chave nessa relação. Então, cuidar de si também é cuidar do seu cão.

78 visualizações