A inimiga número 1 do treinamento de cães.
Buscar
  • Cão Com Manteiga

A inimiga número 1 do treinamento de cães.

Por Oliver So

Talvez você tenha lido o título desse texto e ficado com alguma curiosidade. Sobre quem ou o que eu classifico como a pior coisa na hora de treinar um cachorro. Sobre porque eu estou falando desse assunto nesse momento. Sobre a foto que ilustra esse texto. Sobre o que tem a ver o nome Cão com Manteiga com esse texto. Talvez sobre o próprio nome Cão com Manteiga. Estou enrolando um pouco para falar porque é exatamente sobre isso o texto. Sobre enrolação? Não, claro que não. Escrever isso pode ser um “tiro no pé”, se as pessoas desistirem de ler por essa demora em introduzir o assunto. Mas, não sei se já percebeu, mas o assunto já está aqui. Quero falar um pouco sobre a ansiedade. Voltado para o treinamento de cachorros, claro.


Imediatismo, correria desenfreada, pessoas multitarefas, ligadas em multiplataformas, falando com 10 pessoas ao mesmo tempo, postando selfies e stories a todo momento. Esse é o nosso mundo. Ok, não vamos generalizar. Mas você há de concordar que um bocado de gente no mundo inteiro está desse jeito. Isso tem um preço. Saúde física e mental, relacionamentos, carreiras, consumismo, autoestima. A ansiedade está aí no meio de tudo. E faz com que a gente queira tudo rápido, pra ontem, sem ter trabalho.


E o cachorro com isso? Pois é, não tem nada a ver com tudo isso. Quando dizemos que ter um cachorro dá trabalho não é para desencorajar as pessoas. Mas sim para conscientizar que não é uma coisa simples e imediata. Demanda bastante trabalho, dedicação, aprendizado e paciência. Porque cada cachorro tem seu tempo, suas características individuais, suas motivações, inclusive tem dias bons e ruins também. Isso não tem o que fazer. Cada tutor precisa se adaptar ao perfil do seu cão. Mas o cachorro não muda ao longo do tempo e/ou dos treinos? Sim, pode mudar. Mesmo assim, no final, o tutor continua tendo que se adequar ao animal. Não existem fórmulas mágicas ou atalhos. O tutor precisa seguir o caminho todo. Tentar burlar isso é ir para o caminho da desconfiança – do cão para com o tutor. Confiança é algo que se constrói, que se conquista. Não algo que se arranca à força. Isso inclusive entre pessoas. Com os cães é igual. Sem a confiança do animal, ensiná-lo na marra vai ter um prejuízo para ele: seja na saúde, seja no bem-estar, seja na qualidade de vida.


Então, na hora de treinar seu cachorro, pare, respire, pise no freio. Tire o momento para vocês dois. Curta, perceba que o treino é comunicação. Sob pressão, tudo fica pior. Imagine se, quando estava na autoescola, o instrutor ficasse pressionando a todo momento para que você acertasse. Se você não está em um bom dia, apenas não treine. Ofereça outras atividades para o cachorro, como falei nesse outro texto. Mas tenha consciência que, mesmo que pouco a pouco, o cão consegue aprender e evoluir. Gradualmente, vocês vão afinando a comunicação e se entendendo.


Eu costumo comparar com andar de bicicleta. No começo, ninguém sabe se equilibrar. Vai praticando. Às vezes, precisa de rodinha e depois tira. Vai cambaleando, ganhando equilíbrio e confiança. Começa a pedalar. Faz mais força no início da pedalada. Depois que pega certa velocidade, consegue até parar de pedalar, de vez em quando. É isso. No começo de todo treino, é mais difícil. Até mesmo o cachorro que sabe fazer mais truques no mundo inteiro, um dia, não sabia nenhum. Sabe aquele papo de que uma maratona se começa com o primeiro passo? Mas, se o tutor ou treinador desse cachorro tivesse deixado a ansiedade tomar conta e quisesse resultados urgentes, duvido que tivesse conseguido um terço do que conseguiu. À propósito, dei esse exemplo apenas como ilustração do pensamento. Nunca, jamais, em hipótese alguma, compare seu cachorro com um outro. Isso é uma armadilha que só traz ansiedade e frustrações. Compare seu cachorro com ele mesmo. Assim, você vai ver que ele aprende e evolui nos treinos. Mesmo que no tempo dele.


Se você leu esse texto até aqui, eu agradeço sua atenção e sua paciência. Espero que tenha valido o tempo que levou daquele início de “enrolação” até aqui. De qualquer forma, deixe a ansiedade de fora quando for treinar seu cachorro. O próprio treino pode ser um tempo de tranquilidade e diversão no meio da correria do dia a dia. É só aproveitar.

151 visualizações